Arquitetura, Cultura

O skate e a fotografia urbana

Fabiano Rodrigues é skatista profissional e se apaixonou pela fotografia- que viria a ser então sua principal profissão- fazendo manobras pelo mundo. A composição, o movimento, as luzes e sombras e a arquitetura foram as motivações que Fabiano precisava para expressar sua ambições performáticas usando uma nova linguagem, e foi assim que, em 2010, ele começou a fotografar suas manobras.

Ele desenvolve uma pesquisa de autorretratos, usando uma câmera com controle remoto, a Hasselblad, em cenários perfeitos que expõe os movimentos do skate e sua relação com o mobiliário urbano. É escancarado que Fabiano curte arquitetura e planeja seus cliques com muito cuidado, e esse trabalho tem rendido bastante: ganhou o prêmio Aquisição do Banco Espírito Santo na edição 2012 da SP-Arte, o que levou uma de suas obras ao acervo da Pinacoteca do Estado como participante da exposição Arte Contemporânea Brasileira.

Fabiano aproveitou a deixa e fez um ensaio na Pinacoteca, promovendo uma nova interação corporal e propondo um olhar diferente sobre o premiado projeto de revitalização realizado por Paulo Mendes da Rocha. Ele também já fotografou no MALBA e na Fundação Bienal de São Paulo. No mínimo uma forma muito diferente de enxergar a arquitetura urbana.

fabianorodrigues9

Anúncios
Padrão
Arquitetura

A proeza de um arquiteto japonês

Em Osaka, no Japão, Kenji Ido levantou uma casa de, precisamente, 95 m² em um terreno de apenas 43 m² E o imóvel ainda fica espremido entre dois outros prédios pequenos.

Moram ali um casal e duas crianças que buscavam uma maior incidência de sol e mais espaço para viver. Olhando a vizinhança dá pra perceber como isso é importante. A solução foi construir 3 andares, cômodos amplos e estrutura desenvolvida para arejar o espaço.

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido


No térreo estão a cozinha, o banheiro, lavanderia e o quarto do casal, o 1º andar é a sala de estar e no piso superior estão os quartos das crianças. Para que a luz pudesse entrar, especialmente no 1º piso, o arquiteto girou a estrutura do último andar em 14 graus, assim ele criou vazios entre as paredes que ficaram na posição original e as giradas, liberando espaço para a incidência da luz externa. Genial essa ideia.

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido


Outra parede no 2º andar também teve de ser inclinada para evitar a sobreposição com a escada, mas isso criou um efeito positivo, fazendo o ambiente parecer maior.   


Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido


Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Casa projetada por Kenji Ido

Fonte: Exame.com
Padrão